Formação de professores ao nível das TIC e dotação deste tipo de equipamento devem ser prioridade nas escolas europeias.

ORE | abril de 2013

Consulte aqui o estudo.

Divulgado em abril de 2013, o estudo “Survey of Schools: ICT in Education”, promovido pela Comissão Europeia, constitui um documento relevante para se perceber qual é, na Europa, o ponto da situação no que se refere à utilização das TIC nas escolas do ensino básico e secundário.

Entre as conclusões que nele se destacam estão os seguintes factos: cerca 20% dos alunos do ensino secundário quase nunca ou mesmo nunca utilizou, nas suas aulas, um computador, número que, aliás, ascende aos 50% (tendo por referência a idade de 16 anos) quando se afere a percentagem de alunos que ainda não frequenta escolas devidamente dotadas ao nível das TIC; os computadores portáteis, os tablets e os livros digitais estão a substituir, cada vez mais, os computadores de secretária; a falta de equipamento não se traduz na fraca vontade de o usar, uma vez que em países como a Bulgária, a Eslováquia, o Chipre e a Hungria – que figuram entre aqueles cujas escolas estão menos tecnologicamente dotadas -, a taxa de utilização é das mais elevadas; os professores manifestam-se adeptos da utilização das TIC nas aulas, mas reconhecem faltar-lhes formação neste domínio, e a provar a sua confiança nas potencialidades deste equipamento está o facto de muito o utilizarem na preparação das suas aulas, mais até do que na lecionação das mesmas – por falta de formação, reitera-se.

As recomendações avançadas pelos autores do estudo, face às conclusões alcançadas, são, sobretudo, as seguintes: importa investir não apenas na dotação das escolas de mais equipamento ao nível das TIC, mas também na formação de professores neste domínio, no reconhecimento institucional do seu trabalho exercido nesta área e na criação de responsáveis, em cada estabelecimento escolar, pela educação que contemple a informática e as potencialidades pela mesma oferecidas.

São ainda avançadas recomendações para a União Europeia, nomeadamente o investimento referido, acrescido da monitorização do progresso evidenciado na educação na área das TIC.